terça-feira, 10 de março de 2009

Ensaios



Marcas


Pinto. Pinto as ruas, pinto as estradas e os murais.
Pinto os meus pensamentos
com trovadores e jograis.
Pinto os dedos de sentimentos
e a alma de segredos.

Toco. Toco a guitarra dos meus pais.
Toco o violino dos demais.
Ouço o som e os murmúrios.
Toco a magia dos sussurros
e a calma dos mortais.

Sinto. Sinto a alegria dos tribais.
Sinto a força dos movimentos
como heranças ancestrais.
Sinto os seus lamentos
a saltarem quais chacais.

Olho. Olho as vidas pessoais.
Olho para as relações fatais.
Realizo os seus actos duros.
Olho para os ingénuos puros
e apreendo os seus erros finais.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...